top of page

Petrobras enfrenta nesta quinta ação trabalhista bilionária no TST


O Tribunal Superior do Trabalho (TST) julga nesta quinta-feira (21) uma ação de alto risco para o balanço da Petrobras. Trata-se de ação trabalhista que pode levar a reajuste de até 50% no salário de quase 60 mil empregados da companhia.



O custo total está estimado em R$15,2 bilhões, referente ao passado, e R$ 2 bilhões por ano daqui para frente.


Para comparar: o custo da ação trabalhista, caso a Petrobas perca a causa, é quase o dobro do que o governo está gastando com o subsídio ao óleo diesel acertado no acordo com os caminhoneiros para encerrar a greve que paralisou o país por 11 dias no mês passado.


Outra comparação: no ano passado, mesmo com a política de preços de mercado para os combustíveis, e que levou aos frequentes aumentos no preço da gasolina e do diesel, a Petrobras registrou um prejuízo de R$ 446 milhões em seu balanço.


Os trabalhadores reivindicam recálculo para os adicionais por trabalho noturno, sobreaviso e confinamento (período prolongado de permanência nas plataformas marítimas).


Os critérios para esses adicionais de remuneração foram fixados em acordo coletivo de 2007. Mas, em 2011, começaram a chegar as primeiras ações no TST solicitando mudanças na forma de cálculo.


São mais de 50 mil ações. Caso o TST decida favoravelmente ao trabalhadores, serão beneficiados os empregados da ativa e os aposentados.



O salário de trabalhador de nível médio em plataforma de exploração e produção de petróleo passaria de R$ 11.300 para R$ 16.200, com aumento de 43%. Já o salário para quem tem mais de 20 anos, passaria de R$ 16.400 para R$ 22.400, com aumento de 36,5%.

FONTE: G1

5 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
2024-02-wn-camapanha-qualquer-plano-39-99-BANNER-02.png
bottom of page