banner-vazante-conexao-do-bem-jan2021-scaled.jpg

Família ficava com pensão de R$ 8,4 mil de Madalena, mulher escravizada em MG

A pensão de R$ 8,4 mil recebida por Madalena Gordiano era utilizada pela família Milagres Rigueira, que a manteve por 38 anos em condições análogas às de escravidão, em Patos de Minas (MG). Auditores confirmaram a informação em reportagem ao UOL.

Segundo apontam as investigações, Madalena Gordiano tem uma renda de R$ 8,4 mil originária de um casamento com um ex-combatente da Segunda Guerra Mundial, contudo jamais teve controle do dinheiro, que era administrado por Maria das Graças Milagres Rigueira e o filho, Dalton César Milagres Rigueira.

Segundo auditores ao UOL, a renda de Madalena foi usada para pagar curso de medicina de Vanessa Maria Milagres Rigueira, irmã de Dalton e custear a vida da família por 17 anos.

O casamento de Madalena com Marino Lopes da Costa, oficializado em 2001, chegou a ser alvo de denúncia em 2008. Isso porque Marino é tio de Valdirene Lopes da Costa, esposa de Dalton. O ex-combatente de guerra morreu dois anos após o casamento, aos 80 anos de idade.

Já ciente da saúde debilitada do tio de Valdirene por conta da idade, Maria das Graças teria organizado o casamento de Madalena para que o dinheiro da pensão pudesse custear a faculdade da filha Vanessa Maria Milagres Rigueira, formada em 2007 pela Faculdade de Medicina de Petrópolis, no Rio de Janeiro, relatou o UOL.

0 visualização0 comentário